domingo, 28 de junho de 2009

JOVEM E IGREJA EM UNIÃO




95% DOS JOVENS


QUEREM SABER DA IGREJA.


O QUE ?






Um estudo feito por uma fundação alemã em 21 países mostra que o jovem brasileiro é mais espiritualizado do que muita gente imagina. Cerca de 95% dos entrevistados, com idade entre 18 e 29 anos, disseram que são religiosos e 91% afirmaram acreditar em Deus. O resultado coloca os brasileiros em terceiro lugar no ranking mundial dos que mais possuem algum tipo de fé.Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Biblia Online
Mais de 90% acreditam em vida após a morte e outros 74% disseram orar pelo menos uma vez ao dia. O resultado do surpreendente estudo chamado “Monitor da Religião” mostra que a devoção entre os mais novos está tão em alta quanto entre os mais velhos, uma vez que com 60 anos ou mais o índice de religiosidade é de 96%.
A pesquisa mostrou ainda que 37% dos jovens se consideram muito religiosos e 35% moderadamente religiosos. Foram ouvidos 21 mil pessoas e a fé dos brasileiros só perdeu para os nascidos na Nigéria e na Guatemala, onde os índices dos que disseram ter alguma religiosidade foram de 100% e 97%, respectivamente.
Apenas 4% dos entrevistados disseram que não possuem religião. No entanto, o levantamento mostra que os jovens tendem a subestimar a própria fé. Quando perguntados se vivem de acordo com os preceitos da religião escolhida, apenas 35% dos entrevistados responderam que sim.




Reencarnação


A universitária Janaína Rodrigues, 27 anos, é um exemplo de jovem aberta a crenças de linhas bem diferentes. “Sou católica desde que nasci, acredito em Deus e em Nossa Senhora, mas também em reencarnação. Muito do que o Kardecismo anuncia faz sentido. Também acredito em horóscopo porque as previsões sempre se encaixam nas coisas que acontecem comigo”.

Para o teólogo e professor de Filosofia da Faesa Vitor Nunes Rosa, esse tipo de comportamento é cada vez mais comum e não torna a religiosidade dos jovens menor. “A maioria das pessoas não distingue o que caracteriza uma religião. Buscam o que lhes dá conforto, não importa onde. O ponto comum é dizer que acreditam em Deus. Depois buscam em diversos credos o que avaliam ser melhor”, destaca. Os jovens não procuram uma religião que os transforma seu modo de agir em casa, com os amigos e onde ele se apresenta.



Juventude até no modo de viver a fé



Dogmas, rituais, valores morais, regras mais severas. Nada disso é levado em conta quando o jovem busca sua religiosidade. O que fala mais alto é a sua devoção e a forma que a encontra de expressar.

“Uma escolha é feita e o jovem, quando despertado para ela, passa a compreender a importância de se viver dentro de certos princípios”, observa Abílio Rodrigues, presidente da Associação de Pastores Evangélicos de Vitória.
E é a possibilidade de vivenciar a fé a sua maneira que vem atraindo muitos jovens para as igrejas. Na Paróquia da Sagrada Família, em Nova Rosa da Penha, Cariacica, por exemplo, eles optaram por realizar missões, com visitas as famílias, na comunidade.

“Foi o caminho que encontraram para vivenciar sua fé. O que o atrai é a possibilidade viver a sua fé de um modo jovem, novo”, observa o titular da paróquia, padre Flávio Leonardo.



Sentido à vida



Uma atitude típica da idade, lembra a pastora da Igreja Batista da Restauração, Sandra Rodrigues. Uma fase onde a busca por um sentido para a vida é grande, em que deseja ter uma forma de viver mais definida, mas onde ainda há muitos conflitos, alguns até mesmo familiares.
“É neste momento que entra a orientação religiosa, os aconselhamentos, para mostrar que é possível exercer sua religiosidade, que é possível ser feliz quando você encontrou o que muitos ainda buscam”, acrescentou a pastora.

Jovens sacerdotes para atrair mais fiéis
Liderar uma igreja com centenas de fiéis é um desafio que poderia assustar até pessoas com grande experiência de vida. Mas há jovens padres e pastores que não se intimidam com a pouca idade e aceitam essa tarefa. É o caso do pastor Sérgio Pimentel Freitas, que tem 25 anos e há três atua na Igreja Batista da Praia da Costa, em Vila Velha.

“Sou muito feliz com minha opção. Minha idade me permite alcançar pessoas que talvez não conseguiria se fosse mais velho. Me identifico com os jovens pela linguagem e muitos são atraídos para a igreja porque percebem que é possível ser jovem e feliz servindo a Deus”, diz Sérgio que também é capelão do Colégio Americano Batista.
O padre Renato Christe Covre, 28 anos, atua na Paróqui São Francisco de Assis, em Jardim da Penha, Vitória, há um ano e meio. Ele explica que foram nove anos de estudos antes de assumir uma paróquia. Renato também acredita que sua opção de vida ajuda a trazer mais jovens para a igreja. “Todo mundo se sente atraído por pessoas com as quais se tem alguma afinidade. E com os jovens não é diferente”, explica.
O padre diz que é um desafio ter de lidar com diferentes públicos, mas avalia que foi muito bem recebido na paróquia, o que ajudou bastante. “As senhoras mais velhas me receberam como um filho”.


Eles preferem as igrejas às raves e baladas


Os estudantes Ananda Depiante, 20 anos, Pryscilla Rodrigues, 22, e Rafael Rodrigues, 20, freqüentam a Igreja Batista da Restauração, que fica em Jardim da Penha. Eles garantem que ser jovem e evangélico não é um desafio, e sim um privilégio. “A Bíblia para mim é um manual de princípios para tudo. Deixo de ir a baladas e raves porque acredito que não são ambientes bons para mim e não porque alguém me proíbe. Nossa igreja é animada e com freqüência realiza festas saudáveis para toda família”, diz Rafael. Ananda conta que nasceu em um lar evangélico, mas continua na religião por opção. “Meus amigos que não são da igreja me respeitam. É fácil ser jovem, evangélica e muito feliz quando se tem certeza da escolha certa”.


Dedicação à igreja não é sacrifício.



Os estudantes Patrick Thompson Reis, 25 anos, João Henrique Valdetaro, 24, Joana Pereira, 17, Ruan Pignaton e Janderson Ruy, ambos com 19 anos, são católicos e participam de várias atividades no Santuário de Vila Velha. “Sou ministro de Eucaristia e catequista de Crisma. Tem gente que pensa que ser atuante é difícil para os jovem, mas não é verdade. Faço o que quero, mas sem exageros. Não bebo demais porque tenho de dar exemplo”, diz Ruan, que participa do Ministério de Oração e toca na igreja. É seminarista e em novembro começa um estágio que vai definir sua vida. “Se for da vontade de Deus serei padre. É meu sonho”, revela.



Pastor é morto


por forças de segurança


no Sri Lanka.



Um pastor foi baleado e morto pelas forças de segurança cingalesas no dia 13 de janeiro, em Jaffna, segundo a Christian Solidarity Worldwide (CSW).

A organização informou que o reverendo Nallathamby Gnanaseelan, de 38 anos, era pastor da Igreja Missão Tamil em Jaffna. Ele era membro da Aliança Nacional Cristã Evangélica do Sri Lanka (NCEASL, sigla em inglês) e, segundo a entidade, não estava envolvido em qualquer atividade política.

Segundo a CSW, “o pastor Gnanaseelan foi morto na Rua Capela, depois de ter levado sua esposa e filha ao hospital. De acordo com relatos, ele foi baleado no estômago e na cabeça. Sua Bíblia, bolsa, carteira de identidade e motocicleta foram levadas e ele foi deixado na estrada. As forças de segurança inicialmente alegaram que ele estava carregando explosivos, e, depois, disseram que ele foi baleado porque não obedeceu à ordem de parar”.

A CSW informa que nos últimos meses tem havido uma dramática onda de violência no Sri Lanka, especialmente em Jaffna, devido ao conflito entre o grupo rebelde Tigres de Libertação da Pátria Tamil (LTTE) e o governo. De acordo com a NCEASL, tem aumentado o número de execuções extrajudiciais, seqüestros e desaparecimentos e “a população civil está enfrentando a falta de comida e remédios, passando por dificuldades e sofrimentos”.
maltratadas de forma arbitrária. Pedimos que a comunidade internacional erga sua voz e evite o massacre de inocentes nesse país. É urgente a necessidade de estabelecimento de uma missão das Nações Unidas que monitore os direitos humanos. O mundo não pode ficar parado assistindo à deterioração dessa situação, enquanto, diariamente, as pessoas pagam com suas vidas”.

Além da deterioração da situação política do Sri Lanka, a CSW afirma que a violência contra os cristãos continua, e que o parlamento cingalês está considerando a proposta de uma lei anticonversão.
O diretor da CSW, Mervyn Thomas, disse: “Oferecemos nossas profundas condolências à família do pastor morto. Embora o assassinato do pastor Gnanaseelan não tenha sido motivado pela religião, o fato irá apenas aumentar a tensão para as minorias religiosas do país. Apelamos a todos os lados do conflito, incluindo o governo, o LTTE e as forças paramilitares, para que cessem com as violações dos direitos humanos, e encorajamos a comunidade internacional a agir de modo a fazer com que o conflito no Sri Lanka chegue ao fim”.



Missões Portas Abertas [ http://www.portasabertas.org.br/ ]

PERSEGUIÇÃO A IGREJA E CONTRA CRISTO.


Traços gerais da
perseguição no mundo



O simples fato de ser um seguidor de Cristo será o suficiente para que cerca de milhões de cristãos ao redor do mundo sofram perseguições em 2007.

A maioria dos casos ocorre em quatro “zonas” distintas: os seguidores do islamismo, comunismo, hinduísmo e budismo. No entanto, os casos de perseguição no mundo muçulmano estão em franco crescimento.
Governos, incluindo os de países muçulmanos moderados, falham freqüentemente na guarda dos direitos civis das minorias cristãs. Os abusos sofridos por cristãos incluem seqüestros, conversões forçadas, prisões, destruição de igrejas, tortura, estupros e assassinatos.
Um dos piores lugares onde se registra o abuso à liberdade de culto é a Arábia Saudita, guardiã de locais
sagrados para o islamismo como Meca e Medina. A Arábia Saudita proíbe qualquer outra religião. Um muçulmano que for considerado culpado por se converter ao cristianismo pode ser sentenciado à morte por abandono da fé. E qualquer um que deixar o islã e for levado à Cristo é preso, expulso ou executado.
“Há uma conspiração de silêncio entre os sauditas”, diz o diretor do grupo Release International (RI), Andy Dipper. “Provavelmente porque o ocidente esteja em busca do seu petróleo e dinheiro. Só que este é um governo que dá uma sentença de morte aos próprios cidadãos que não desejam mais do que a liberdade de escolher sua própria fé. Enquanto os sauditas banem todo o tipo de literatura cristã, estão sendo gastos bilhões de dólares por ano com a propagação do islã pelo mundo”.

Uma das mais violentas perseguições entre muçulmanos é promovida pelo governo. Desde os ataques terroristas de 11 de setembro, o mundo tem estado em alerta contra organizações terroristas islâmicas. Apesar da mais conhecida ser a Al-Qaeda, existem muitas outras que se aproveitam da tensão
religiosa para colocar em prática suas próprias políticas de extermínio.
“Cresce o número de extremistas que interpretam o chamado da jihad como um chamado de
violência. Eles consideram como um preceito forçar cristãos e não-muçulmanos a se converterem ao islã. Quem se recusar deve ser induzido ou morto”, disse um representante do RI no Reino Unido.

Os observadores do RI ressaltam: “Está crescendo um movimento de imposição da lei islâmica, a sharia, que resulta no aumento da pressão contra os cristãos. Na Nigéria, militantes induziram os cristãos domésticos a transferir sua oposição política e pavimentar o caminho para a lei sharia”.
Os governo comunistas
“A despeito do colapso do comunismo na Europa, a perseguição aos cristãos continua na China, Cuba, Laos e Vietnã, enquanto o pior perseguidor de cristãos do mundo é a Coréia do Norte”, diz o comunicado do RI.
O governo comunista é ideologicamente contra o cristianismo e mantém programas sistemáticos de invasão e destruição de igrejas. Algumas ações são feitas por antigos “guardiões” aposentados da União Soviética e China - que se abriram economicamente, mas continuam a perseguir os cristãos.
“A China se prepara para os jogos olímpicos, e os governos do oeste fazem bem em relembrar que a China possui mais cristãos do que qualquer outro país”, disse Andy. “Crentes e líderes que não querem nada mais do que a liberdade de culto são aprisionados, torturados e até mortos”, completa.
Mundo hindu e budista
O alerta do RI também destaca que os cristãos de hoje no mundo hindu sofrem severas perseguições na Índia e no Nepal. O partido político indiano BJP, um dos maiores, é associado a um grupo de militantes hindus nacionalistas, cujos extremistas estiveram envolvidos no crescente número de ataques contra cristãos e muçulmanos.

Muitos Estados hindus adotaram leis contra a conversão forçada, mas neles ainda existem abusos. Cristãos sofrem perseguições principalmente nas áreas rurais, enquanto militantes extremistas destroem igrejas, ameaçam, atacam e matam pastores e líderes.
No mundo budista, os cristãos sofrem perseguição no Butão, Mianmar e no Sri Lanka. Militantes budistas vêem os cristãos como uma ameaça à sua identidade e unidade nacional. Por isso, agem com perturbação e violência contra os cristãos no Butão e no Sri Lanka.
Em 1966, Mianmar expulsou a maioria das missões cristãs. Hoje, sob forte repressão militar, as forças armadas controlam também a religião. Há diversos casos de conversão forçada ao budismo assim como de violência contra os cristãos.

China

expulsa mais

de 100 missionários

em apenas três meses


Nos últimos três meses o governo da China expulsou e deportou mais de 100 missionários cristãos, em uma operação silenciosa, especialmente vindos de países como os Estados Unidos, Canadá, Coréia do Sul, Cingapura, Austrália e Israel. Trata-se mais ostensiva ação do gênero desde 1954. Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Biblia Online
De acordo com a Associação Cristã de Ajuda à China, a campanha tem como objetivo retirar todos os estrangeiros cristãos que estejam no país até a Olimpíada de 2008, para evitar uma ação evangelística em massa.
As expulsões têm ocorrido principalmente em Beijing, Xinjiang, Tibet e Shandong. Só em Xinjiang, mais de 60 trabalhadores cristãos – dentre professores de inglês, homens de negócios e funcionários de organizações humanitárias – foram expulsos, alguns deles já viviam na região há pelo menos 15 anos.

Cerca de 15 casais cristãos vindos dos Estados Unidos foram obrigados a deixarem o país no mês de maio.
No dia 31 de maio, em Linyi (Shandong), um cidadão israelense e outro norte-americano foram presos durante uma reunião de oração com 70 líderes de igrejas domésticas.
Sem contato com a Embaixada
Em Beijing, no dia 1 de julho, três cristãos dos Estados Unidos foram presos e obrigados a deixarem o país sem ao menos poder entrar em contato com a Embaixada norte-americana na China.
O ministro chinês de Relações Exteriores não quis comentar o assunto. Susan Stevenson, porta-voz da Embaixada norte-americana, admitiu a ocorrência de algumas deportações, sem dar mais detalhes.
Ação missionária na Olimpíada de Pequim
Grupos cristãos ao redor do mundo têm divulgado que planejam enviar milhares de voluntários para evangelizar a China durante a Olimpíada de Pequim (Beijing), em uma ação inédita. Algo semelhante aconteceu na Olimpíada de Atenas, Sidney e Atlanta.
O governo chinês controla a religião e exige que qualquer atividade seja vinculada às organizações oficiais religiosas, submetidas ao partido comunista. Todo o tipo de atividade religiosa autônoma é punida com prisão.

Familia pastoral

Familia pastoral
Pr.Fernando Dionisio,Pra.joana Dark,Ramon, Rubém,Sillas

SEJÁ BEM VINDO

Pesquisar este blog

MSN

RADIO EM ADORAÇÃO